Refuse Patterns Thnk Cfgrtions

Um desenho virtual partilhado
Aplicação para dispositivos móveis
Beatriz Bernardo
  • padrões
  • interacção
  • interface
  • utilizador
  • navegação

Refuse Patterns Thnk Cfgrtions explora padrões desenvolvidos no âmbito do design de interfaces (User Interface Design Patterns) sob a forma de uma aplicação para dispositivos móveis. A aplicação tem por objectivo evidenciar as convenções associadas ao uso de interfaces gráficas e o seu reconhecimento por parte dos utilizadores, procurando subverter e questionar as mesmas. Ao ser confrontado com respostas pouco expectáveis às suas acções, o utilizador é levado a reflectir sobre as convenções do processo da navegação, através da subversão de ícones e suas funções, de uma estruturação de conteúdos pouco convencional ou até da utilização de diferentes tipos de navegação em simultâneo.

Refuse Patterns Thnk Cfgrtions é uma aplicação optimizada para tablet que aplica princípios de navegação contrários aos padrões de interacção habituais neste tipo de interface, a fim de questionar as expectativas do utilizador. Uma das estratégias utilizadas é a subversão do comum entendimento de ícones. Por exemplo, o ícone normalmente associado ao encerramento de um conteúdo, nesta aplicação, desconstrói-se e forma um seta que permite o acesso a outros conteúdos.

Outra das estratégias exploradas consiste na navegação via duas listas de conteúdos: uma vertical e outra horizontal. Sempre que o utilizador consulta um conteúdo presente na lista de conteúdos horizontal é redireccionado para a lista de conteúdos vertical e vice-versa, deparando-se com frases que se aplicam às suas ações, tais como “You have tapped here for some content”, “This is not a list of contents” ou “This is the place where the title should be”.

Os conteúdos textuais presentes no projecto são relacionados com a temática explorada, sendo, por um lado, mensagens acerca do próprio funcionamento da aplicação e por outro citações alusivas ao mesmo, retiradas de Software — Information Technology: Its New Meaning for Art. Frases como “Machines carry on brilliant dialogues with articulate human beings and very uninspired conversations with dull people”, de Jack Burnham, pretendem evidenciar a relação utilizador/software, os seus modos de adaptação ou inadaptação.